quinta-feira, 18 de junho de 2015

O Último Desejo – A Saga do Bruxo Geralt de Rívia 1


The Witcher 3: Wild Hunt, um dos jogos mais esperado de 2015, foi lançado em maio deste ano. Anos atrás joguei The Witcher 1 e 2, porém na época considerava apenas mais um jogo qualquer, a história era legal, haviam momentos marcantes, mas assim que larguei o controle segui jogando outras coisas e esqueci dos personagens. No hype da mais nova versão da Saga de Geralt de Rívia rejoguei no mês passado os dois primeiros jogos e fiquei mais fascinado com aquele universo fantástico do que com o de qualquer outro jogo até hoje. A sede de conhecer mais sobre as histórias de Geralt, Triss Merigold, Zoltan e Dandelion me levaram ao volume 1 da série A Saga do Bruxo Geralt de Rívia.

Embora tenha sido lançado no Brasil como parte da “Saga” os dois primeiros volumes, O Último Desejo e A Espada Do Destino, são coletâneas de contos que o autor, Andrzej Sapkowski, havia publicado em revistas polonesas de fantasia. Apenas a partir de O Sangue dos Elfos temos realmente os romances da Saga do Bruxo. Falarei de O Último Desejo, livro que adquiri na versão e-book da Amazon – ultimamente para livros de puro entretenimento tenho preferido a versão digital à física.

Quando falamos de Bruxos não estamos nos referindo a feiticeiros ou coisas do tipo, dentro do universo de Andrzej Sapkowski os bruxos são pessoas que fazem parte de uma espécie de ordem antiga de caçadores de monstros sobrenaturais. Os Bruxos são levados para treinamento ainda crianças, onde além de exercício físico e adestramento psicológico precisam sobreviver a ingestão de misturas químicas pesadas que alteram o funcionamento de seu organismo. Para muitos os Bruxos não são considerados humanos, já que as ingestões das substâncias os tornam além de poderosos também insensíveis e frios. Esse vídeo faz um resumo do que são os bruxos:


Em O Último Desejo temos seis histórias intercaladas por prólogos que são enumerados e chamados de A Voz Da Razão. A Voz Da Razão é apenas um modo de introduzir os contos, uma tentativa de dar coerência à coletânea, que no fim das contas nem deu muito certo, já que as histórias continuam dispares e sem conexão umas com as outras. É preciso ainda dizer que os livros de Sapkowski que deram origem aos jogos e não o contrário.

O conto inicial é O Bruxo, quem teve contato com o primeiro jogo da série vai poder finalmente saber em detalhes o que acontece nessa cena de abertura:



Basicamente se trata do relato do caso mais famoso de Geralt de Rívia: como ele lidou com a maldição que caiu sobre a filha do rei Foltest, fruto de um relacionamento incestuoso. O conto deixa evidente por que Geralt se tornou uma lenda nos reinos do norte.

O segundo conto, Um Grão de Veracidade, é o que achei mais divertido. Nele temos Nivellen, um rapaz de uma linhagem de notáveis ladrões que um dia foi amaldiçoado por um sacerdote a se transformar em uma besta. Porém Nivellen se acostumou tanto com sua situação que não queria mais voltar a ser humano, como fera sua casa obedecia magicamente todos os seus desejos, conseguia mulheres e ninguém o incomodava, pois todos o temiam. Embora seja um conto focado principalmente nos diálogos é bastante tenso, Geralt não sabe se acredita em Nivellen e nem Nivellen sabe se deve realmente confiar num bruxo, que afinal de contas ganha a vida matando monstros.

Depois vem O Mal Menor, o conto mais complexo do livro. Em O Mal Menor o bruxo acaba revelando que tem um lado humano e filosofa bastante se existe um mal menor ou se todo tipo de mal tem a mesma força. Ele enfrenta escolhas difíceis que acabarão o marcando para sempre como o Geralt, o Carniceiro de Blaviken.

Uma Questão De Preço é o conto menos interessante, parece uma lenda dos irmãos Grimm com uma pitada de fofoca de palácio. Nele a princesa Pavetta se apaixona por um cavaleiro monstruoso ao qual foi prometida pelo pai em situação de perigo muitos anos atrás. O cavaleiro salvou o rei e lhe foi prometido qualquer coisa que quisesse, ele pediu aquilo que o rei encontrasse ao retornar para casa e da qual ele não tinha conhecimento e não esperava. Quando voltou ao lar o rei ficou sabendo da gravidez que daria nascimento à princesa Pavetta e entendeu que ela estava destinado ao cavaleiro. Com o rei morto e a rainha no comando há uma recusa de entregar Pavetta ao cavaleiro. A rainha tenta convencer Geralt a se livrar do cavaleiro monstruoso, mas ele não faz exatamente o que era esperado e rola umas tretas bem pesadas. Não é que o conto seja ruim, só é o pior do livro. Esse conto explica como Geralt acabou se tornando tutor de Ciri, a personagem em torno do qual o jogo Witcher 3 gira e também nos apresenta o conceito de Fonte, pessoas com habilidades mágicas inatas poderosas e próximas ao Caos, as Fontes raramente conseguem contralar tanta energia.

Em Os Confins Do Mundo temos outro conto ao estilo irmãos Grimm. Nela aparece Dandelion que no polonês (e na tradução em português acaba sendo assim também) é Jaskier, ambos são nomes de flores em línguas diferentes, por isso a mudança. Os confins do mundo são onde os elfos um dia habitaram e foram expulsos pelos humanos para além dos limites, nas montanhas. É o primeiro conto a narrar um pouco da xenofobia que existe entre humanos e não-humanos e o conflito causado pela colonização humana em territórios das outras raças. Acaba sendo um conto triste ao constatarmos o destino que espera os nobres e orgulhosos elfos sobreviventes.




O Último Desejo é o conto que dá nome ao livro e encerra a antologia. Nele acompanhamos Jaskier e Geralt no seu primeiro encontro com Yennefer. Yennefer é a grande paixão da vida de Geralt, desde o momento em que colocou os olhos nela pela primeira vez a desejou de um modo que não se considerava possível pra um bruxo (falo de amor, porque Geralt é transudo, só não se conecta com as mulheres que pega). Só que Yennefer não liga muito pra Geralt, o acha poderoso e útil, nada mais. Tanto que ela o usa para atrair e tentar prender um Djinn, gênio Elemental do ar, o que lhe daria poderes inimagináveis. Geralt não esperava as coisas que aconteceram, como metade da cidade ser destruída pela batalha entre Yennefer e o gênio, mas ele tinha se precavido e faltava fazer um pedido para o gênio, dois já haviam sido feito. Esse que é o último desejo ao qual o título se refere, aparentemente essa história é importante no enredo de Witcher 3 e nos outros livros da saga.


O que primordialmente parecia apenas uma curiosidade pelo universo do jogo se tornou uma surpresa bastante agradável. O Último Desejo – A Saga do Bruxo Geralt de Rívia é um livro de contos formidável, cheio de ação, com personagens complexos e narrativas interessantes. Eu sei, parece muito adjetivo né? Mas é a única forma de se referir ao livro, Andrzej Sapkowski é um contista e tanto, além de ter criado um universo único e inesquecível. Quanto a escrita mais em estilo de romance... bem, isso verei mais a frente quando chegar em O Sangue dos Elfos. Por enquanto digo que vocês podem comprar os livros da Saga sem medo, são bons.
O Último Desejo – A Saga do Bruxo Geralt de Rívia 1
  • Comentários Blogger
  • Comentários Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Top