quarta-feira, 1 de julho de 2015

10 coisas que você deveria saber sobre Ray Bradbury



1. Aos 14 anos, Ray Bradbury já trabalhava escrevendo para o programa de rádio de George Burns e Gracie Allen.

Eu desci a Rua Figueroa em frente ao Teatro Figueroa, Bradbury disse: “Eu vi George Burns do outro lado em frente ao teatro. Eu fui até ele e disse: 'Você tem a transmissão de hoje a noite, não tem?'. Ele disse: 'Sim'. Eu disse: 'Mas você não tem audiência, não é?' Ele disse: 'Não'. Eu disse: 'Você me deixa fazer o programa ter audiência?'. Assim, eu fui todas as quartas-feiras para as transmissões e, em seguida, escrevi os programas e os entreguei a George Burns."

2. Com 22 anos, Bradbury finalmente teve coragem de pedir uma garota para sair. Ela se chamava Maggie e era funcionária de uma livraria. Ela achava que Ray roubava livros, pois ele sempre ia vestindo um casaco longo. Eles saíram para tomar um café, que se transformou em coquetéis, em jantar, em casamento, em 56 aniversários e 4 filhos. Ela foi a única mulher que Bradbury namorou. Maggie trabalhava em tempo integral, enquanto Ray ficava em casa escrevendo. Algo raro em plena década de 40.

3. Bradbury não só nunca teve uma carteira de motorista como não confiava em ninguém dirigindo. Sua aversão veio de um acidente de carro fatal que ele presenciou aos 16 anos. Em 1996 ele disse à Playboy: “Vi seis pessoas morrerem em um acidente horrível. Levei seis meses para me recuperar. Então, eu não dirijo. Mas se eu dirijo ou não isso é irrelevante. O automóvel é a arma mais perigosa em nossa sociedade – carros matam mais do que as guerras”.

4. Apesar de escrever sobre coisas futurísticas Bradbury é relutante quanto a computadores. “Estamos sendo enganados por Bill Gates e seus parceiros”, disse à Playboy em 1996. “Olha para o Windows 95, isso é um monte de bobagem, você sabe!” Ele também afirmou que os computadores nada mais são do que máquinas de escrever, e que ele certamente não precisaria de mais uma dessas. Também chamou a internet de "old-fashioned": “Eles digitam uma pergunta pra você, e você digita uma resposta de volta. Isso é algo de 30 anos atrás! Por que não fazer isso com um telefone? Ou com uma televisão?”. 

                   

5. George Burns não foi o único famoso que ajudou Bradbury. Em 1947, um editor da Mademoiselle leu um conto de Ray, de nome “Homecoming”, que contava a história de um menino humano em uma família de seres sobrenaturais. Esse editor acabou o ajudando, e Bradbury ganhou um espaço no O. Henry Prize Stories, como um dos melhores contos de 1947. Esse jovem editor que deu um empurrão em sua carreira foi nada mais do que Truman Capote.

6. Bradbury escreveu Fahrenheit 451 em 9 dias, no porão da biblioteca da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) em uma máquina de datilografar alugada. O título do livro vem da temperatura da queima do papel, em graus Fahrenheit.

      

7. Apesar de ter escrito Fahrenheit 451 na biblioteca de uma universidade da Califórnia, Ray não era estudante da mesma. Ele não acreditava no ensino superior. “Eu acredito em bibliotecas porque muitos estudantes não têm dinheiro”. Bradbury disse: “Quando eu me graduei na escola, foi durante a Grande Depressão e nós não tínhamos dinheiro. Eu não pude ir para a faculdade, então, por dez anos ia à biblioteca em três dias da semana”.

8. Bradbury não só era grande amigo de Walt Disney (e até mesmo pediu-lhe para ser prefeito de Los Angeles), como ajudou na formação das histórias contadas no Spaceship Earth, um globo localizado no parque Epcot da Walt Disney World Resort.

      

Ele era um grande fã dos parques da Disney, dizendo: “Todo mundo chegará a essas portas. Por quê? Porque eles querem olhar para o futuro. Eles querem ver como é feito seres humanos melhores. Se nós pegarmos alguns dos conceitos da Disneyland e Disney World e Epcot, podemos fazer o mundo ser um lugar melhor".

9. Quando morresse, Bradbury planejava ter suas cinzas colocadas em uma sopa de tomate Campbell e, em seguida, enterra-la em Marte. Depois decidiu que deveria haver um lugar onde seus fãs pudessem visitá-lo, e pensou em projetar sua própria lápide, com a inclusão dos nomes de seus livros. No final das contas, acabou sendo enterrado no Westwood Memorial Park, em Los Angeles. Sua lápide acabou levando seu nome + autor de Fahrenheit 451.




10. Talvez um memorial mais apropriado seja o que a NASA deu a ele quando conseguiu aterrissar um rover em Marte poucos meses após a morte de Bradbury em 2012: Eles chamaram o local onde Marte Curiosity aterrissou de "Bradbury Landing".




Fonte: theweek.com
10 coisas que você deveria saber sobre Ray Bradbury
  • Título : 10 coisas que você deveria saber sobre Ray Bradbury
  • Postado por :
  • Data : quarta-feira, 1 de julho de 2015
  • TAGS :
  • Comentários Blogger
  • Comentários Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Top