terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Passando o Som: Dicas de Kiko Loureiro sobre carreira musical

De uns tempos pra cá, sempre que posso, tenho buscado estudar umas coisas tipo Inbound, Branding, entre outras tosqueiras. Um amigo do Agostinho (que também é meu chegado, mas quase não usa redes sociais) tinha passado a fita pra ele me indicar uns vídeos do Kiko Loureiro sobre dicas e toques envolvendo carreira musical. Agostinho chegou a comentar, mas nunca havia me enviado os links e eu never fui atrás também, até a última quarta-feira de cinzas.

Nunca ouvi o Angra muito além do Rebirth, nem sei muito porquê, mas talvez ter assistido uma série de vídeos com altos bizus que o Kiko fez e publicou em seu canal no Youtube tenha compensado essa minha falta. Baixei também um ebook gratuito que o guitarman disponibiliza resumindo tudo que ele aborda nos onze vídeos até então divulgados. Cheguei a ver o Angra tocando no Piauí Pop, ouvi altas histórias sobre uma apresentação fail na antiga Templum Pantheon, boate que existiu um dia em Teresina, but vamos aos vídeos.


Se não me engano, Loureiro já possui 20 anos ou pouco mais disso de carreira na música, seja com o Angra, projetos solos, workshops, aulas e a recente entrada para a banda Megadeth. Daí que ele decidiu estreitar mais os laços com seu público e marcar maior presença nas redes sociais. Detalhe, com um material super de qualidade e em parceria com o Cifra Club.

Nos vídeos o músico traz luz a pontos interessantes e muitas vezes de difícil acesso para estreantes, como informações sobre direitos autorais, como é feita a divisão para casos de músicas feitas em parcerias. Kiko fala sobre o que pode ser melhorado em uma turnê, isso show após show, comenta sobre diversas fontes de renda para alguém que pretende viver da música e aí ele cita coisas como dar aulas, tocar na noite, seja com a própria banda, seja empresariando uma, há também a possibilidade de ser endorser de alguma marca e também a venda de produtos de um artista, coisas como camisas de banda, discos, cerveja etc.


Das coisas interessantes que ele comenta é a questão da autoestima, de como é importante você acreditar no seu potencial e ao mesmo tempo estar aberto a opiniões, sugestões e criticas, isso é de praxe, mas é o tipo da coisa que precisa sempre ser ressaltada. Loureiro, lá pelos últimos vídeos, fala sobre paridade e disparidade, que seria pegar exemplos de artistas que você admira num determinado nicho e sozinho descobrir o que eles possuem em comum e de diferente. Depois comparar as igualdades e diferenças encontradas com o que você tem a oferecer com seu projeto musical.

Outro ponto bacana é que ele sempre nivela os exemplos por cima, trazendo influências do comportamento musical americano e europeu, coisas básicas, mas que no geral, o brasileiro não costuma dar tanta importância, como ser pontual, ter foco, praticar o instrumento, mas também estar a par do mercado musical, nesse ponto penso que ele poderia ter explorado mais a questão do streaming, parece-me que ele fala por alto quando cita Jay-Z, dá exemplos como do Wu-Tang Clan meio que driblou isso ao gravar e lançar um disco único, de uma única cópia, mas toda bem trabalhada, com uma caixa especial, detalhada e tal. O grupo de rap pôs a leilão esse produto e ao invés de vender milhões de discos, vai faturar milhões com uma única cópia. Ou seja, o que Kiko tenta fazer é instigar seu público a também criar alternativas de se inserir, manter-se dentro do mercado as custas da própria criatividade.


Pelo que andei vendo de comentários, a receptividade dos vídeos tem sido boa, inclusive, com direitos ao público analisando o Kiko de anos e vídeos atrás e falando de como ele melhorou a retórica, ampliou conhecimento com o passar do tempo, coisa que, óbvio, se você leva coisa a sério, é de se esperar o crescimento, maturidade e tudo mais.

Para finalizar, nem precisa dizer, mas vamos lá, é bom conferir e sugar um pouco de conhecimento de quem já possui bastante experiência. Os vídeos em geral possuem seis, sete minutos, os mais longos não passam de treze minutos e, pelo que andei vendo, falta ainda o Kiko disponibilizar o derradeiro vídeo, a websérie dele parece que foi programada para uma cartilha de doze vídeos e só encontrei onze disponíveis no Youtube. Dá para assistir tudo numa tarde só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top