sábado, 28 de outubro de 2017

Capitão América por John Byrne e Roger Stern


Acredito que qualquer um que teve um pouco de contato com gibis ou tenha visto alguma dessas listas de melhores sagas, talvez conheça o nome John Byrne. Ele foi desenhista, roteirista e arte-finalista, além de ser considerado referência no universo das histórias em quadrinhos, como por exemplo: X-Men, Quarteto Fantástico, Tropa Alfa, Superman, Mulher-Maravilha e muitas outras.

Roger Stern é outro mostro que assim como Byrne também teve seus primeiros trabalhos de destaque na Charlton Comics. Stern foi escritor e editor de muitas histórias memoráveis tanto na Marvel quanto na DC. Foi responsável por criar personagens como o Duende Macabro e Will Payton, o quarto Starman.
Da esquerda para a direita, Byrne e Stern

Embora essa saga já possua quase 40 anos, sempre bom informar aos mais radicais que o texto possui SPOILERS.

O primeiro arco da dupla inicia na edição 247, com a “volta” de um vilão que aparentemente estava morto, o Barão Strucker. Mas como nos gibis todo personagem considerado morto sempre volta como um androide, clone e afins, ao final das contas Strucker era um robô a mando de Mecanus.

Mecanus ataca o Capitão mais duas vezes até o embate decisivo entre os dois. Onde o vilão revela ser o Senhor Medo, antigo vilão bucha do Demolidor que “morreu” lutando contra o herói cego. Mas como disse antes, ninguém morre realmente, e pouco antes de definhar teve sua mente transferida para um computador.

Gênio da robótica mas ainda fala dele mesmo em terceira pessoa.

Mecanus futuramente terá mais participação na vida do Capitão, mas durante essa saga surge uma personagem de grande importância na vida do Capitão, Bernadette Rosenthal. Assim como em várias outras histórias John Byrne costumava criar relacionamentos entre os personagens, por isso tratou logo de colocar uma namoradinha para o Capitão.

Nessa época Steve tinha saído da mansão dos Vingadores para buscar um lugar mais isolado dos outros heróis. Nisso foi morar em um condomínio, Bernie é uma de suas vizinhas que ao conhecer Steve nem se dá ao trabalho de esconder seu interesse no bonitão.

Não vá se enganar achando que é a Kitty Pride

O relacionamento de Bernie e Steve é bem interessante, porque ambos são totalmente opostos. Steve como sabemos é o Capitão América que ficou anos congelado se tornando um homem fora do seu tempo. Já Bernie é a clássica garota “descolada” (nem sei se ainda usam essa gíria, mas eu também sou outro velhaco.). Como Bernie ainda não conhece o segredo de Steve, fica intrigada com os costumes e hobbies dele serem semelhantes aos de seus avós.

A seguir temos a história talvez seja a mais lembrada dessa fase, “Capitão para presidente”. Após salvar o membro de um partido político de um sequestro é uma convenção, o presidente do partido tem a ideia de convidar o Capitão para concorrer a eleição presidencial. Lógico que o Capitão recusa, mas o presidente do partido não se conforma e mesmo sem a autorização do Capitão avisa a imprensa que ele irá concorrer, esperando com isso que o apelo popular mude a opinião do herói.

Se é político e tem Underwood no nome, vocês já sabem que não é coisa boa.

Lógico que a aprovação popular é total. Inclusive outros super-heróis também ficam balançados pela ideia. Resultando até em uma reunião na mansão dos Vingadores para discutir sobre o assunto. Depois de pensar melhor sobre tudo o Capitão finalmente aparece em público para dizer sua decisão.

Como era de se esperar ele novamente rejeita concorrer. Mas ele fala da importância da função de ser o líder de um país e que nem sempre o populismo e significa que a pessoa está preparada para o cargo ou que ela não pode ajudar de outras formas. Se eu comparar com o panorama político do Brasil acredito que é o mesmo efeito que a população tem em relação ao juiz Sérgio Moro. O magistrado sempre aparece nas pesquisas a presidência, apesar de alegar que não vai concorrer e sequer ser filiado a algum partido.


Outro grande destaque dessa fase é mostrar de forma detalhada o treinamento do Steve. Até então o que tínhamos visto era um jovem franzino que tomou um soro, ficou forte e do nada já era o gênio das batalhas na II Guerra. É mostrado que após o tratamento do soro do super soldado, Steve ficou meses recebendo tanto treinamento em várias artes marciais como também tático e militar. Ainda fez algumas missões teste até finalmente ser apresentado ao mundo como o Capitão América.



Para finalizar, nessa fase ainda teve introdução do novo Union Jack no maravilhoso arco do Barão Sangue. E a luta do Capitão contra o Batroc no navio sequestrado pelo Mister Hyde, que com toda certeza inspirou a primeira cena do filme Soldado Invernal.        

Fotos: HQ Capitão América/ Google
Capitão América por John Byrne e Roger Stern
  • Comentários Blogger
  • Comentários Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Top