segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Resenha do filme It’s a Wonderfull Life (A felicidade não se compra)





O natal é a época de compartilhar os momentos vividos ao longo do ano, assim como ficar pertinho de quem amamos e refletir em busca de um futuro melhor. No entanto, tirando o discurso teórico em torno da data festiva, o dia também é favorável para passar o dia em casa, largado no sofá e com um pijama confortável. A partir disso, trago aqui a indicação de um filme que literalmente forço todos os meus amigos assistirem, It’s a Wonderfull Life (A felicidade não se compra).

Direção e roteiro de Frank Capra, A Felicidade Não se Compra nos leva a pequena cidade de Bedford Falls, onde mora um garoto chamado George Bailey (James Stewart). Sempre se destacando entre seus amigos, George desde a infância já tem planos de sair do vilarejo e viajar pelo mundo.



George é prestativo e disposto a ajudar sem pensar nas consequências, na sua primeira cena, resgata o irmão de um buraco em rio congelado, mas com isso termina com uma infecção no ouvido levando a perder a audição. Mas isso não muda seu humor, ele inclusive faz piada sobre a nova condição.

Com o tempo o garoto se torna adulto, finalmente tem dinheiro suficiente para sair de Bedford Falls e pagar a faculdade. Seu pai ainda nutria esperanças de George ficar e continuar com a firma da família, mas George mesmo admirando e respeitando seu pai de todo coração, diz que nunca entendeu o motivo dele ter um negócio que mais parece caridade. Ele ainda ressalta que não está mais tão jovem e precisa logo seguir seus sonhos.


Só que nesse mesmo dia o pai de George morre, com isso ele resolve sacrificar as férias que teria antes de iniciar a faculdade para finalizar os negócios do seu pai na firma. Aqui temos o “vilão” da história, o Senhor Potter. Um homem que é praticamente dono da cidade e que só não lucra mais por causa da firma dos Bailey. A empresa é responsável por financiar boas casas a um preço justo.

Com a morte do pai de George, o senhor Potter incita imediatamente a dissolução da firma. Porém após uma maravilhosa lição de moral que recebe do protagonista, os diretores resolvem continuar com a firma com a condição de George assumir o lugar do pai. Aqui temos um dos pontos principais do filme, que é onde mostra como sua preocupação com os outros é maior que seu próprio ego e resolve ficar no lugar do pai e ainda entrega o dinheiro que juntou para que seu irmão possa ir se formar fora da cidade. O resto é assistindo ao filme.

Embora seja um filme antigo, sua trama é mais do que atual e com toda certeza inspirou muitos filmes posteriores. A dedicação de George as pessoas da cidade e sua frustração por não ter realizado seus sonhos é a realidade de muitos jovens de hoje, inclusive o caminho que ele resolve tomar durante um momento de desespero, o suicídio.



Mais adiante, um anjo aparece na vida de George e mostra como seria a cidade caso ele nunca tivesse nascido. Com isso, ele que se considerava um fracassado e uma maldição na vida da cidade e de sua família, pode ver como cada atitude sua marcou e ajudou cada pessoa naquele lugar. Culminando em um dos finais mais lindos e emocionantes de todos os filmes. É quase que impossível não chorar vendo a cena final e toda a lição que ela nos traz.  


Como dito antes, o filme, assim como muitos outros de Capra inspiraram e inspiram gerações. O próprio Spielberg afirmou que toda vez revê este filme antes de iniciar um novo trabalho. Destaque também para a maravilhosa atuação que James Stewart, que entre várias cenas maravilhosas, consegue se sobressair. Eu sempre gosto de destacar a cena do bar! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top