quarta-feira, 28 de março de 2018

Rising Stars - Estrelas Ascendentes


Você pode até não ter contato com histórias em quadrinhos, porém os quadrinistas estão produzindo materiais nas mais diferentes manifestações artísticas. Esse é o caso do autor dessa obra, J. Michael Straczynski. Ele é o criador do seriado Babylon 5 e uma das pessoas que, juntamente com as irmãs Wachowski, é responsável pela série Sense 8. Nos quadrinhos, o autor também escreveu Midnight Nation para a Image, Poder Supremo para a Marvel e Quarteto Fantástico, num arco em que ele estabelece a relação entre os poderes de cada um da equipe com a sua personalidade, o que deu um ponto de vista diferenciado para a Primeira Família da Marvel.

Straczynski assina a obra Rising Stars, que conta a história de uma pequena cidade em que um cometa cai bem próximo, esse que trazia consigo uma radiação que afetou a todos os fetos em gestação naquele dia. 113 foi o número de afetados e cada um de maneira diferente. Para o autor, desenvolver superpoderes vai muito além do que tornar-se simplesmente um super-herói ou um supervilão. A psicologia explica que nós somos o fruto da interação das características genéticas com o meio em que vivemos. Ele procura explorar essa idéia e mostra como a vida de cada “especial” vai ser influenciada por sua história, inclusive como a energia captada irá se manifestar.

O autor foge da tônica clichê dos heróis em que os poderes dos personagens ocorrem ao acaso e explora muito bem os seus conhecimentos provenientes de sua formação em psicologia e em sociologia. Logo no início, o autor chama a minha atenção ao mostrar a mobilização do governo para poder isolar e controlar os especiais, isso aproxima a ficção do mundo real, principalmente quando o governo convence as famílias a abrirem mão dos seus filhos “por seu próprio bem” e os confina num local cheio de guardas disfarçados.


O enredo segue se aprofundando em alguns dos chamados "especiais", mostrando histórias de bullying, abusos sexuais, solidão e sofrimento, tudo isso em decorrência da transformação que o evento causou. Eu destaco dois personagens: Joshua Kane, filho de um líder religioso que acredita que o poder do filho é um desígnio de Deus para abençoar a sua igreja, um personagem que trata do fanatismo religioso e como esse filho é dominado pela convicção do pai, abrindo mão de uma liberdade de escolha. Outro especial é Lábaro que, ao atingir a idade adulta, passa a ser garoto propaganda de empresas. Devido a direitos autorais, ele é obrigado a mudar seu nome para Patriota, um personagem que mostra a superficialidade do consumismo e o quanto o mercado manipula pessoas apenas pra se auto-favorecer. Enquanto a vida de alguns deles é mostrada, uma trama vai ganhando forma aos poucos: alguns dos especiais estão morrendo e é preciso descobrir quem e porque isso acontece. O que se sabe é que o assassino tem um profundo conhecimento de cada um deles.

O autor é bem verborrágico nos seus argumentos, algo que me atrai quando é bem utilizado. A obra, ao mostrar um governo que procura ter o controle sobre a vida de crianças que podem representar um perigo, faz uma alusão ao medo social que as pessoas diferentes trazem e, portanto, precisam ser isoladas e monitoradas. Outra crítica social em destaque é que um dos “especiais” é filho de um líder religioso e esse explora a criança até a idade adulta, a fim de provar que esses poderes são uma dádiva divina, agregando uma legião de fiéis.

Sobre os desenhos, eles ficaram a cargo de Keu Cha e Christian Zanier, mas não há uma grande variação entre uma edição e outra, sempre imprimindo o mesmo clima obscuro em toda a obra. A Editora Image iniciou o lançamento da obra em 1999 e aqui no Brasil a sua edição encadernada, mais recente, saiu em 2014 pela Editora Mythos.


Rising Stars é uma obra excelente, pois aborda o tema heróis de uma forma mais humanizada do que o habitual, não é o fato de ter poderes que isso vai deixar a vida de alguém melhor, inclusive alguns desses poderes tornam a vida um fardo. Essa maneira pouco usual de tratar uma história de herói conquistou a minha atenção. Rising Stars se destaca por saber como mesclar uma história com aventura, mistérios e luta com uma crítica social, aproximando a ficção da vida real.

Quando eu li essa obra, a referência que eu tinha era apenas o sucesso de vendas, o que me fez olhar inicialmente de uma forma muito cética. Ao final da leitura, a gente percebe o quanto o autor sabia o que estava fazendo e traz um final surpreendente que explica bem a história desde o início. Essa é uma obra que merece ser adquirida e exibida na estante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top