quarta-feira, 9 de maio de 2018

Elfos: o sucesso europeu chega ao Brasil!


Elfos são seres mitológicos que fazem parte da antiga cultura nórdica. Uma das primeiras pessoas a trazer essa raça para a literatura foi J. R. R. Tolkien em "O Senhor dos Anéis", uma obra épica que encantou leitores nas mais diversas partes do mundo e encanta até hoje. Em 2013 essa HQ chegava na Europa pela Editora Soleil, se tornando uma das mais vendidas e que ainda hoje cada edição nova é aguardada com muito entusiasmo. O sucesso da hq levou a editora fazer outras HQs derivadas, baseadas em outras raças. Isso atiçou a minha curiosidade e fez com que eu experimentasse essa revista que é recém chegada no Brasil pela Mythos Editora.

Os quadrinhos europeus trazem algumas diferenças em relação aos quadrinhos americanos, a começar pelo tamanho (24x31 cm). Cada edição contém uma história completa e como lida com uma grande qualidade gráfica, suas edições não são mensais, dando mais tranquilidade para que os artistas trabalhem a obra no tempo que for necessário.

Inicialmente é necessário saber que "Elfos" trata de cinco raças diferentes (azuis, silvestres, brancos, negros e meio-elfos), aos poucos a obra pretende mostrar as características de cada uma delas, sua interação entre si e com outros seres, tais quais homens, orcs e anões. A cada edição sabemos um pouco dos costumes e dos acontecimentos históricos que cercam esses seres tão diversos.

Na primeira história, Lanawyn é uma elfa azul que junto com um homem encontra uma cidade élfica em que todos os habitantes estão mortos, o único vestígio do que ocorreu é uma faca Yrlaniana. A elfa então procura desvendar esse mistério, porém quanto mais ela se aprofunda, mais indagações aparecem.


Enquanto isso, a jovem elfa Vaalann encontra a madre-profetiza Allu-Tilea e exige que ela mostre sobre o seu futuro, ela descobre que está destinada a enfrentar os guardiões de um cristal de grande poder. Vaalann, assim, segue em busca do seu destino dentro do mar. A característica principal dos elfos azuis são o fato de eles saberem lidar com a água e de conseguir se comunicar com ela. É necessário atenção na leitura para ficar atento às duas situações das personagens. A emoção só aumenta quando as duas se encontram num desfecho espetacular.

A segunda história ocorre quando uma cidade de homens está a beira da destruição para que sirva de passagem para barcos provindos das Cidades do Arquipélago. Nelas concentra-se poder militar e financeiro a ponto de poder contratar Orcs para atingir o seu intento. Llali é a filha do chefe que está a beira da destruição e ela procura entrar em contato com os Elfos Silvestres para pedir ajuda.

Porém há muito que o vínculo entre Elfos Silvestres e homens foi rompido. Desde que os druidas foram destruídos, houve apenas o distanciamento dessas duas raças. Agora a aliança entre os Orcs e as Cidades do Arquipélago coloca em risco as florestas da região e consigo os Elfos Silvestres. Já deu pra perceber  que haverá cenas épicas de conflitos de diferentes raças? E é esse o ritmo que a história segue, além de explicar todo o contexto histórico dos acontecimentos. A obra tem um foco em contar histórias desses seres fantásticos, mas é possível ver críticas de costume a nossa sociedade, o que leva os autores a entrar em contato com a realidade do leitor.


Elfos é um lançamento da Mythos Editora no seu selo Gold Edition que traz a publicação da Editions Soleil de 2013. Se você é uma pessoa que admira histórias com seres fantásticos ao estilo de "O Senhor dos Anéis", você ficará encantado com essa revista, sem a linguagem rebuscada de Tolkien mas que mescla muito bem uma excelente narrativa e batalhas de espadas e feitiçaria. Além de uma linda edição em capa dura, papel lwc de alta gramatura e tamanho europeu, a revista traz histórias que prenderam a minha atenção e que me fazia lamentar por estar terminando, felizmente essa revista ainda está em publicação na Europa e muitas edições hão de vir.


Essa edição contou com os roteiros dos franceses Jean-Luc Istin e Nicolas Jarry e os desenhos do espanhol Kyko Duarte e do italiano Gianluca Maconi, com páginas lindas e uma riqueza de detalhes que mostram que o quadrinho europeu também consegue fazer uma boa mescla entre argumentos e desenhos. Vale muito a pena destacar as cores do paulistano Diogo Saito com uma paleta de cores diferentes pra cada história e que dá uma ambientação diferenciada entre os Elfos Azuis e os Silvestres.

O preço da obra é algo que limita bastante o acesso a essa obra, não quis utilizar o adjetivo caro devido a qualidade indiscutível do produto final e a sua riqueza de detalhes, mas vale a pena ficar sempre de olho em promoções nos diversos sites de quadrinhos para pegar num preço melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top